Não Posso Voar
Início Perguntas #MinhaTag Theme
    »
Make your choice.
Live your life ~


♥ 31
Reblogar

1
Reblogar

Há muito não vinha por aqui. Meu DEUS, perdão por cometer sempre os mesmos pecados e não crescer. Sim, ainda não evoluí espiritualmente e nem como pessoa. Desculpa, todas as vezes é por culpa minha mesmo, eu que continuo a cometer os mesmos pecados, como hoje. As pessoas parecem gostar de mim e eu gosto delas, mas ainda tem algo errado, não me sinto completo, ta sempre faltando algo, da uma tristeza danada e fico pensando coisas ruins, em como sou pequeno se comparado aos outros e quão fútil e efêmera é a minha vida, meus desejos, planos, sonhos, preocupações e ações. Não consigo ver uma mudança clara, direta, dura e evolutiva, algo como progresso… Acho que ta tudo igual, passo pelos mesmos problemas, tenho os mesmos medo, só que cada vez mais eles parecem mais intensos e eu cada vez menor. Todo episódio novo em que não tenho êxito serve pra confirmar que eu não sou bom para os “esses tipos de coisas”. Não sou um filho exemplar, nem parente, amigo, aluno e pessoa. Umas amigas dizem que me cobro demais, são a Lorena Tavares e a Luiza Maropo, o que elas falam tem sim sua verdade, mas por estar dentro da situação. para mim, parece ser muito mais que apenas isso. Minha cabeça não ta muito boa, minhas interpretações estão indo de mal a pior e as fronteiras dos sentimentos estão cada vez menos visíveis. Meu humor tem oscilado bastante. Não consigo escolher um caminho pra ir e continuar por ele. Posso estar super decidido, mas antes de dar o segundo passo já estou indo em outra direção novamente. Antigamente os sentimentos eram menos difíceis de irem embora, sim, os sentimentos mais contos de fada. Hoje não sei mais como definir o que sinto, não sei se é algo bom, ou uma lembrança viva de algo que sempre foi menor do que eu vivenciava ser. Não sei se ainda sinto, ou se são só efeitos colaterais das intempéries da vida, mas quando me deparo inesperadamente meu corpo treme de uma extremidade a outra, é algo insano mesmo, mexe com a mente, o coração e o corpo todo (biologicamente falando). Pô, nunca tinha tido uma experiência assim, de sentir literalmente na pele algo que os sentimentos proporcionam. Eu poderia dizer que é surreal, mas é exatamente o contrário. Não sei se daqui há um tempo lerei isso de novo, ou se nesse tempo que está por vir outras pessoas lerão isso, talvez essa segunda opção esteja me coagindo um pouco a não ser mais claro nas palavras, mas também tem aquela gotinha de vergonha kkkk. Enfim, a partir de um momento aí da minha vida, não lembro o porquê, comecei a idealizar uma moça para viver um romance segundo a sua palavra, ela era maravilhosa e tudo e com ela passei também a pensar em ter filho - o nome da nossa menina é/era/será/seria Sofia. Por muito tempo vive isso e pensei nisso. Algumas moças apareceram, mas nenhuma delas conseguiu sair da superficialidade de minha idealização. O “não deu certo” apareceu muitas vezes na minha vida, escrevendo isso me ocorreu que talvez seria essa frase a minha pessoa, como diria Meredith Grey e Cristina Yang do seriado Grey’s Anatomy. Enfim, o sonho da “Mãe de Sofia” perdera a força e eu já não enxergava mais em mulher nenhuma qualquer semelhança, resquício ou reflexo de semblante desta incrível criatura, também pudera já que ela não existe. Essas não foram sábias palavras. Em um fatídico dia nada casualmente comum, estava eu em um trote da faculdade (recepção para os alunos novatos), exercendo vingança pelo que tivera sofrido no semestre anterior, seja lá porque motivo tenha acontecido, não sujei uma pessoa em especial. Não faço a mínima ideia do motivo de ter isso, ou melhor dizendo: não ter feito, mas simplesmente não joguei tinta, café, vinagre, alho, óleo, colorau e sabe-se lá mais quantos ingredientes naquela criatura dos olhos claros e que tinha deixado de ser branquinha kk. Um amigo acabou comentando comigo que tava com pena daquela bixinha, e não lembro direito, mas acho que comentei também alguma coisa com ele, mas o fato é que quando cheguei em casa fui procurar pelas fotos tiradas do trote, achei a dita cuja e mostrei pro meu amigo. Depois fui até o perfil dela para saber de quem se tratava. Petrifiquei. - Meu DEUS! Ela existe! - devo ter dito algo desse tipo na hora. Pois é, com o passar do tempo pude ir comprovando que realmente ela era tudo o que eu pensava que a Mãe da Sofia seria. Aquilo era inimaginável, não poderia estar acontecendo, não se existem mais pessoas assim em plena segunda década do século XXI, pois é meu caro, existem sim. Daí pra frente foi aquela progressão de encantamento, conhecer, se aproximar, conviver um tempo e se pegar fora da sala de aula olhando pra ela pela abertura de ventilação da sala dela que era em frente a minha e reconhecer que estava completamente apaixonado. Aconteceu muita coisa depois disso, muita coisa mesmo, expectativas frustradas, perseverança por algo que não se fazia racional e um negócio imenso que eu não sentia, mas não é só imenso, é duradouro, constante, não passa, não diminui, não vai embora quando fico triste, não deixa de existir quando amarga, mas esse “negócio” consegue passar sempre uma vassoura no meu coração e tira tudo o que tinha de ruim dentro dele. É como se a vida sempre nos encaixasse em um eixo quando a vida é completamente um caos. Passei a reconhecer isso como amor. Algumas pessoas não consideram isso, talvez porque ela não o sinta também, talvez até ela pense assim, mas nos últimos dias cheguei a conclusão de que confundimos amor  com romance. Infelizmente talvez nem todos viverão um romance, existem muitas variáveis que dificultam-o acontecer, tais como nós mesmos, ou acidentes de percurso que fazem as pessoas não se encontrarem, ou até consequências vindas por ações de terceiros… Mas talvez todo mundo possa viver um amor, ou melhor, vários amores. Isso não tem nada a ver com o relacionamento afetivo com a ótica de casal, vai além. Na Palavra de DEUS é falado muitas vezes sobre amor, amar o  próximo e coisas do tipo, porém pegamos o sentido de amor e adaptamos às paixões, os romances, as histórias de filme. Talvez outra pessoa mais centrada e entendida do assunto possa dizer se o que sinto por essa pessoa é amor mesmo, recalque, ou não aceitação por não ter dado certo ou seja lá o que for, mas isso não faz muita diferença. Enfim novamente, não sei o que sinto por ela ou se ainda sinto algo, ou se ainda é só a impressão do que senti ou que talvez achei sentir, contudo a vida é trágica, fugaz, rápida demais, a gente não pode deixar de ser protagonista dela pra ser coadjuvante na dos outros, isso é um conselho que dei a várias pessoas. Infelizmente às vezes mesmo amizades não dão certo, não existe o que forçar, a gente pode ter feito uma besteira irreparável ou talvez algumas besteiras nem foram tão grandes assim, a culpa pode ser do outro também. Tem pessoas que não dão valor as outras, e realmente falta consideração, é como se passassem uma borracha em você, algumas até te cumprimentam, mas não vão além disso, não querem saber onde você está, como você está, o que está passando, o que está sentindo ou o que está precisando, elas simplesmente não se importam, não estão nem aí para você. Não é que elas estejam te dando um gelo, ou te punindo por algo, é apenas que você deixou de ter relevância na vida delas, é algo muito normal. Mais vale um aprendizado aí: Relações são recíprocas, você não deve se sentir penalizado ou de que não fez o suficiente para algo der certo, não se sinta assim, pois se o outro não tiver o interesse, de nada vale essa relação. Esse tipo de pensamento não é pra se restringir às relações, ele vai além, pode ser pra quase tudo na vida. Só tenho um problema com isso: Alguns jogadores de futebol foram rejeitados inúmeras vezes nas peneiras (tipo de teste para entrar em um time profissional de futebol), e não desistiram. Se não me engano o Cafu, capitão da seleção pentacampeã brasileira, foi rejeitado mais de dez vezes. O Edson Arantes do Nascimento ia desistir do futebol um dia antes de virar o mítico Pelé. Dentre tantos outros exemplos, dentro e fora do esperte, pessoas que não desistiram de seus objetivos e persistiram mesmo tudo sendo contrário e dando errado várias vezes, porque comigo não pode ser do mesmo jeito? Por que não sou eu quem decide se vai dar certo ou não? Esse é um pensamento perigoso, não sei se ele serve para todas as áreas da vida ou se para algumas em específico, mas nesse momento eu vou persistir em ser um profissional de verdade, recentemente vi que meu trabalho não é tão bom quanto achei que seria, tem uma pessoa que pra uns parece meio carrasco, mas pra mim ele é alguém que martela um bloco de carvão com força, esse cara vai me ajudar a ser melhor. A vida tem me mostrado que eu não consigo as coisas que quero, talvez ela continue certa por um tempo ainda, mas sou eu posso mostrar que ela pode errar às vezes. Então meu DEUS, peço novamente desculpa por ser um bobo, e por favor me ajuda a melhorar, a evoluir, a transcender, realmente preciso de ajuda, pois só vou conseguir ultrapassar essas coisas se estiver contigo. Amém, muita obrigado pela minha vida, o ar em meus pulmões, minha saúde, minha família, meus amigos e tudo o que tu fez e faz por mim e toda coisa boa que já fizeram pelo meu ser.

♥ 7954
Reblogar
♥ 688407
Reblogar

♥ 33467
Reblogar

♥ 6936
Reblogar


3148
Reblogar

O amor nos liberta, nos transforma, faz de nós pessoas melhores. E esse amor é Deus.
Baseada na Videira. (via baseada-na-videira)

0
Reblogar

É difícil manter uma decisão quando se é um doente viciado que não mantém firme a sua escolha.

♥ 333
Reblogar
0
Reblogar

4 - Menos discurso. Mais Verdade.

♥ 16177
Reblogar
♥ 58
Reblogar

♥ 149
Reblogar

♥ 378
Reblogar
itsconsumingme:

I want affection

itsconsumingme:

I want affection


0
Reblogar

1 - Parar de criar diálogos para conversas que nunca terá.
2 - Não era comigo. Sério, você pode até pensar por alguns instantes, mas depois vai perceber que era com outra pessoa.
3 - Invisibilidade e Inelegibilidade.
3 - O espelho sempre lembra a realidade que está diante dos olhos.

Feito por:
enfraquecer-se